Disfunção erétil: o que é, sintomas e tratamentos

 

Remédio para disfunção erétilUm dos assuntos mais delicados a respeito da saúde masculina é a disfunção erétil. Culturalmente, a dificuldade na ereção é motivo de brincadeiras e chacotas, o que impede muitos homens de buscar ajuda.

Embora tenha esse cunho jocoso, a impotência, a ejaculação precoce e outros distúrbios afetam diretamente a vida do homem, e também de sua parceira. Portanto, o assunto deve ser tratado de forma direta, sem rodeios e sem mitos.

Buscar ajuda para esse tipo de problema, atualmente, é muito fácil. Existem profissionais especializados e o avanço tecnológico permite um diagnóstico rápido e preciso. Saiba mais sobre a disfunção erétil, suas causas, sintomas e tratamentos.

O que é disfunção erétil
A disfunção erétil é incapacidade, permanente ou temporária, de manter uma ereção pelo tempo necessário para que se tenha uma relação sexual satisfatória. Obviamente o tempo de duração da ereção varia de homem para homem, a partir dos níveis hormonais e de outros fatores.

No entanto, quando o indivíduo percebe que essa dificuldade se torna constante e/ou repetitiva, é aconselhável buscar ajuda médica especializada e fazer um bom diagnóstico. Falhas sazonais na ereção são comuns, portanto é preciso ficar atento com a regularidade e a potência, para que não se crie um falso alarme.

As causas da disfunção erétil são muitas e variadas, podendo ser de origem fisiológica ou psicológica. A seguir veremos os principais sintomas e as causas que levam à disfunção erétil.

Sintomas e causas da disfunção erétil
A ereção do órgão genital masculino é um processo que envolve diversos órgãos e sistemas, o que dificulta o diagnóstico. A impotência total ou parcial são os principais sintomas da disfunção erétil, mas ela pode apresentar também outros sintomas como a ejaculação precoce.

Esses sintomas podem ocorrer simultaneamente ou em separado, depende de cada caso. O indivíduo que apresenta ejaculação precoce, por exemplo, pode não apresentar um quadro de insuficiência na ereção, e assim, sucessivamente.

É importante ressaltar que esses sintomas podem aparecer em qualquer idade da vida adulta do homem. Não é raro que se encontrem casos de disfunção erétil em jovens, embora ela seja mais frequente em homens mais velhos.

Entretanto, o simples envelhecer não significa que o indivíduo irá apresentar disfunção erétil.

Já quanto às causas, listaremos aqui algumas das mais frequentes e comuns, lembrando que apenas um exame médico poderá determinar com exatidão a causa do problema:

  • Doenças e problemas hormonais, como problemas endócrinos, diminuição dos níveis de testosterona e diabetes
  • Doenças no sistema vascular, como a hipertensão e a arteriosclerose, que impedem ou dificultam a chegada do fluxo de sangue até o órgão
  • Doenças de origem neurológica, como o mal de Parkinson e de Auzheimer, além de lesões na medula espinhal
  • Distúrbios psicológicos, como depressão, ansiedade e outros
  • Uso abusivo de medicamentos
  • Cirurgias na região pélvica
  • Fibrose no corpo cavernoso do pênis
  • Alcoolismo
  • Tabagismo

Essas são algumas das principais causas para o surgimento da disfunção erétil. Repare que elas podem ser associadas, como por exemplo o indivíduo tabagista que faz uso excessivo de remédio.

Vale ressaltar também que os distúrbios psicológicos são responsáveis por grande parte dos problemas de disfunção erétil, e falaremos sobre o assunto com mais profundidade.

Remédio para disfunção erétil
Remédio para disfunção erétil

Fatores de risco
Muitos dos fatores de risco que levam aos quadros de doenças cardiovasculares, como os AVCs e os infartos, também contribuem para o surgimento de um quadro de disfunção erétil.

Essa relação se explica pela grande quantidade de sangue que é necessária para que o pênis fique rígido o suficiente para uma relação sexual. Logo, os principais fatores de risco são:

  • Quadro de hipertensão arterial
  • Diabetes
  • Alterações nos níveis de colesterol e de triglicérides
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Tabagismo

Fatores socioambientais, como problemas familiares, desemprego, estresse, problemas financeiros, luto e outros fatores que alteram o indivíduo psicologicamente.

Diagnóstico da disfunção erétil
Associar qualquer uma das causas ou dos fatores de risco à disfunção erétil por conta própria é um erro. Afinal, é o médico que poderá traçar um diagnóstico correto e preciso.

Portanto, ao sinal de que as ereções não são mais as mesmas que normalmente, seja em quantidade ou em duração, é prudente que se procure um especialista. O exame para detecção da disfunção erétil é basicamente clínico.

Desta forma, o médico, ao conversar com o paciente e elencar todas as possíveis causas, chegará ao diagnóstico e indicará o tratamento adequado. É importante que o indivíduo seja sincero com seu médico e exponha minuciosamente os sintomas.

Como já vimos, o assunto ainda é tabu para muitos homens, o que acaba atrapalhando o diagnóstico preciso. Apresentar um quadro de disfunção erétil não é vergonha para ninguém, e o problema é muito mais comum do que se imagina.

Tratando a disfunção erétil
A partir do diagnóstico médico, o tratamento será iniciado. Em geral, a medicação oral é a mais indicada e resolve grande parte dos casos. Os remédios receitados são os vasodilatadores, que compensam a falta de irrigação no corpo cavernoso do pênis e proporcionam uma ereção mais duradoura e potente.

Além dos vasodilatadores, atualmente, os remédios inibidores de fosfodiesterase tipo 5 também são bastante receitados, com altos índices de sucesso na melhoria do quadro de disfunção erétil.

Em casos mais graves, é necessária a realização de exames complementares, que são encaminhados ao urologista. O principal exame é o ecodopller peniano, através do qual é possível analisar a estrutura das cavidades e diagnosticar alguma alteração importante.

A disfunção erétil psicológica
Como já vimos, em muitos casos, a origem da disfunção erétil é psicológica. O desejo e a libido estão diretamente ligados aos estímulos visuais, táteis e olfativos. Quando o indivíduo apresenta um quadro de nervosismo ou de ansiedade extrema, seu organismo libera adrenalina, que diminui o fluxo sanguíneo na região peniana. Isso dificulta a ereção e acaba frustrando a expectativa criada.

É nesse momento que se cria um verdadeiro ciclo, pois a falha na ereção traz ainda mais ansiedade e pressão, o que agrava ainda mais o quadro. Esse tipo de disfunção sazonal acontece com homens de todas as idades, e principalmente, em primeiros encontros ou no início de uma relação.

Se a ansiedade prejudica a ereção, o comodismo também é um mal a ser combatido. Casais com muitos anos de relação, muitas vezes, acabam permitindo que a rotina tome conta da vida de ambos.

Assim, o desejo diminui e da mesma forma, as ereções. Portanto, manter um relacionamento saudável e interessante é um passo importante para que os efeitos da disfunção erétil psicológica não apareçam.

Busque manter hábitos saudáveis de vida
Além da função reprodutiva, o sexo é também fonte de prazer e de satisfação, tanto para o homem quanto para a mulher. Para ter uma vida sexual plena e satisfatória, o corpo e a mente precisam estar em harmonia e em perfeito funcionamento.

Portanto, busque manter hábitos mais saudáveis de vida, e muito provavelmente, isso irá interferir positivamente na sua vida sexual. Procure evitar, sempre que possível:

  • O sedentarismo
  • A alimentação desregrada e desequilibrada
  • O consumo excessivo de álcool
  • O tabagismo
  • As preocupações excessivas com o trabalho e a vida financeira
  • A rotina no relacionamento

Praticar atividades físicas também é um item fundamental nessa lista, afinal, elas auxiliam na capacidade respiratória e também na circulação sanguínea. Além disso, promovem a sensação de bem-estar físico e mental, fundamentais para a saúde de todo o corpo.

Uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes e vitaminas também é fundamental para que se evitem os problemas causados pela disfunção erétil. Adotando um conjunto simples de medidas é possível atenuar ou até mesmo eliminar esses problemas.

Procure orientação especializada
Vimos aqui um panorama geral sobre a disfunção erétil, um problema que assola milhares de brasileiros. Boa parte dos indivíduos não buscam orientação médica por medo ou por vergonha, e apelam para soluções caseiras, de origem duvidosa.

Se você apresentar os sintomas da disfunção erétil por um tempo maior do que considera razoável, busque ajuda.

Sabemos que, culturalmente, os homens buscam muito menos os médicos do que as mulheres, e isso é um erro.
Marque uma consulta, seja honesto e sincero com seu médico de confiança e busque a melhor solução para o seu problema de disfunção erétil, seja ele sazonal ou permanente. Depois do diagnóstico, siga as orientações e a medicação indicada e resolva definitivamente esse problema.

A disfunção erétil não é, e não pode se tornar em um fantasma, algo mitificado, do qual temos medo. A solução em geral, é muito mais simples do que se imagina. Basta que cada um faça sua parte, melhorando seus hábitos, buscando mais qualidade de vida.

Com menos estresse, uma boa alimentação, exercícios físicos e deixando de lado alguns excessos, seu próprio organismo dará a resposta que você procura. Mantenha sua mente saudável, fugindo da rotina e do marasmo em suas relações.

Assim, sua vida sexual será plena e satisfatória, e o ciclo que foi imposto pela disfunção erétil será desfeito. Sexo é fundamental na vida de todos nós, portanto, cuide-se e busque ajuda, se necessário. Procure um profissional, converse com sua parceira e usufrua de todos os benefícios de um tratamento simples e eficaz.

Remédio para disfunção erétil
Remédio para disfunção erétil

/* */